21 março, 2010

Pampedal, insônia e Dom Quixote

Pampedal, Insônia e Dom Quixote; o que pode ter de relação entre essas coisas? Até o final do post entenderemos. Hoje fui para mais uma pedalada matinal de domingo, já batizada por mim mesmo de Pampedal, dado que a idéia é exatamente sair a pedal por estes pampas no entorno de Bagé. Hoje o pedal foi solitário do ponto de vista prático, mas não do ponto de vista de meus pensamentos.
Não foi fácil sair da cama. A noite passada foi uma daquelas marcadas pela insônia. O resultado foi uma hora de trabalho em plena madrugada pra relaxar e mais 3 horinhas de sono leve e conturbado. Mesmo assim, resolvi não me entregar para a fadiga. Pulei da cama às 07h00 e fui para mais um pedal. O bom é que acabou valendo muito à pena. Fui para outro lado da região e acabei explorando a estrada vicinal que leva até o vinhedo da família Peruzzo. Mais uma vez fui presenteado por um dia lindo, pelo cheiro do campo e por uma paisagem pampeana matutina bonita e atraente como sempre.

E o que tem a ver Dom Quixote com Pampedal?
Dentre todos os prazeres oferecidos pelo pedal talvez o mais legal foi o ruído das torres de energia elétrica espalhadas pelos campos. O ar da manhã e o silêncio dos campos nos permite ver as torres de energia "estalando", uma grande novidade para mim. Acredito que deva ter alguma associação com a dilatação do aço. É um fenômeno muito legal. Um pouco depois, quando já voltava da vinícola o ruído já não era o mesmo. Parecia mais uma influência do vento balançando os cabos e conseqüentemente, movendo a estrutura das torres.
Ver aqueles gigantes soltos no campos trazendo seus grunidos me fez pensar no livro de Dom Quixote. Se aquele intrépido cavalheiro andasse por essas bandas nos dias de hoje, talvez reproduzisse mais uma vez sua discussão junto a Sancho Pança quanto à real existência daqueles têmidos monstros. O risco seria ele levar um choque gigantesco e morrer eletrocutado, ao invés de tomar a pá de um cataventos pela cabeça.
Vale à pena viajar um pouco nessa história: imagino um dia no futuro algum gaudério chucro montado em um cavalo crioulo e acompanhado por seu fiel escudeiro montado num petiço. Os dois peleando com geradores eólicos pela campanha, e imaginando estar defendo uma bela china desprotegida, de alguma querência deste pago. Perdoem se não entenderam nada. É vocabulário de gaúcho mesmo. :-))
O pedal foi curtinho e rápido: em torno de 25km. Pela imagem abaixo é possível entendê-lo e reproduzí-lo.
Vou lá cevar um chimarrão e esquecer um pouco dessa noite mal dormida. ;-))


Abração a todos e até o próximo post!!

FRANZ

14 março, 2010

Domingão e Pampedal

O PEDAL
Mais um domingão cheio daquelas nuvens matutinas, escuras e ameaçadoras. Pois, nem com tais nuvens arrepiei ao pedal de domingo, afinal elas seguidamente acabam indo embora e nos deixando um belo dia pela frente. Cedinho pulei da cama, calibrei os pneus e fui para a praça de esportes de Bagé. Tinha a saída marcada entre 08h00 e 08h30. Para acompanhar este pedal contei com um novo amigo de ciclismo, o Nilo (o cara sabe tudo de bike). Fizemos um pedal show, com vento a favor na primeira metade do trajeto e vento levemente contra na segunda metade. Mais uma vez o verde da soja, o ar da manhã e o cheiro de macela com mel pelos campos deram seu show, sem contar com os carcaras, cardeais e outros pássaros encontrados pelo caminho. Bagé está começando a revelar seu lado mais bonito pelos pedais de minha bicicleta. Uma pena ainda estar sem minha máquina digital. Vamos ver o que descobrirei quando o outuno e o inverno chegarem. A geada se desfazendo deve ser um show a parte.
O pedal durou duas horas e meia e chegou a 44km, contados no ciclocomputador do Nilo. O trajeto foi o mesmo apresentado no post anterior deste blog.

PAMPEDAL
Batizarei carinhosamente assim (PAMPEDAL) esses pedais de domingão pela manhã, os quais só vão encarar aqueles que tiverem realmente afim de colocar o pé no pedal pelas estradas do nosso pampa. Afinal, sair da cama no domingo cedo não é fácil. Ainda mais se for depois de um eventual festerê no sábado. :-)) Se contarmos com uma geada forte daqui a uns meses então... :-))
Já ficam aqui convidados os pedalantes de Bagé para os próximos pedais, sempre no Domingo, com saída entre 08h00 e 08h30 e sempre da Praça de Esportes. Vamos deixar pré-combinado o ritmo sempre leve (cicloturismo) para que o máximo de gente possa participar.

Valeu!!!
Abraços e até o próximo post!!

FRANZ

07 março, 2010

Primeiro pedal mais longo por Bagé

Pessoal,

Finalmente, hoje pude dar uma pedalada um pouquinho mais longa em Bagé. O relógio despertou 06h30. Pulei da cama, mesmo tendo ido dormir tarde na noite anterior, tomei um bom banho e coloquei minha roupa para umas pedaladas mais longas. O roteiro consistiu em sair da cidade por um lado (entrada nova), pegar a estrada, ir conhecer uma barragem e entrar pelo outro lado da cidade (entrada antiga). Dá para chegar a uns 46km com este trajeto.
A bike que usei foi uma Caloi 100 igual a da foto, a qual comprei em Janeiro pensando em usá-la para ir e voltar do trabalho (commuting). Como não trouxe minha bike para a campanha, resolvi usá-la para pedais mais longos também. Confesso que o resultado não é dos melhores, pois os componentes nem se comparam com aqueles da MTB GT Avalanche, com grupo Shimano Deore, que tinha eu em Porto Alegre. Mas tudo bem!! Como dizia aquele comercial famoso: "Não é nenhuma brastemp...mas..." :-))


O pedal valeu à pena pela paisagem tomada pela serração matutina molhando rosto e lavando a alma, pelo silêncio da estrada quase sem carros e pelo cheiro de macela (erva de chá) emanado pelos campos nessa época do ano. Tudo de bom. Como estou sem máquina fotográfica, segue aqui no post somente o roteiro para alguém de fora da cidade que queira refazê-lo (os ciclistas de bagé já conhecem esse roteiro muito bem). São somente 46km, sem lombas e com muito asfalto novinho.


Abraços a todos e até o próximo post

FRANZ

03 março, 2010

USS Speed D5: além de bonita é desmontável

Pessoal,

Este início de ano está carregado de novidades reclineiras, sobre tudo aquelas que estão vindo do Rio de Janeiro. Algum tempo atrás tivemos uma reclinada high racer belíssima contruída pelo amigo Roberto Tavares, o Mordaz (vejam AQUI).
Pois agora surgiu uma nova reclinada artesanal carioca. Dessa vez, veio pelas mãos do Daniel Uram e com ajuda do Arthur (HP3 Trikes), que fez a fixação do guidon. Vejam abaixo o texto que o próprio Daniel escreveu para expor sua obra de arte aqui no blog. Outros links sobre a bike são encontrados no Recliforum e no Recumbentblog.
Boa leitura e apreciem as fotos.

"Nunca fui muito de correr com bicicletas mas ao comprar com o Pedro Zohrer (Zohrer) uma under control (veja fotos AQUI e AQUI), eu pode ver que devido à aerodinâmica ela andava mais rápido, e esse gostinho ficou. Com a Truck D4 começei a alcançar médias de 27 km/h sem fazer força. Aí foi a gota d´agua e decidi fazer uma bike que fosse rápida e tivesse itens que minha under original não tinha. Além de vencer o pior problema do Rio de Janeiro, o asfalto ruin, a bike iria conter roda 24" (ou 26") na frente para vencer os buracos, full suspension, opção dobrável para viagem, raio de curva menor e claro, bonita.

Parti para internet e achei vários modelos. Mas, o que me chamou atenção foi a Tcheca AZUB Ibex. Em cima desse desgin fiz a Speed D5, (D5 significando minha quinta bike).

Algumas modificações depois ficou pronta:
Rodas 24 x 26 - podendo ser 26 x 26
Aço
Full suspension
Desmontável
Modelo: USS - "Under Control"
Shifters: Shimano Dura Ace Bar end Shifters 9V
Derailleurs traseiro Shimano Deore 9 velocidades com cassete 11-34(mega ranger)
Pedal 165 mm Shimano Tiagra FD 4503 50-39-30,
Peso: 23 Kg
Tubos de Teflon
Seat: fibra de vidro
Seat Pad: Ventisit
Cor: vinho
"

Obrigado Daniel por divulgar sua bela bike aqui no blog.
E aos demais, um abração e até o próximo post.

FRANZ

02 março, 2010

Perdemos o Valdo

Pessoal,

Quero deixar registrado aqui, apesar de muitos já terem tomado conhecimento, que hoje perdemos uma figura importante do cicloturismo reclinado brasileiro. O Valdo faleceu hoje, segundo informações que obtive, enquanto dormia em um albergue, na localidade de Punta Piedra - Juarez (estado da Baja California-Mexico).
Sempre recebia os emails dele deixando a gente informado sobre sua aventura. Curiosamente, eu nunca conseguia abrir o website por que dava um erro de sistema em meu pc. Para quem quiser tentar acessar informações sobre ele, procure no google por "valdo na bike" ou "pedalando pela paz".

Valdo, que seu novo caminho seja iluminado e sereno.

Abraços a todos e até o próximo post.


FRANZ