22 março, 2009

Domingo lindo - Pedal básico

Hoje pela manhã teve um pedal básico. Como não era o último fim de semana do mês, o Olavo Ludwig (quem organizou o pedal) resolveu chamá-lo de GRNOM (Grande Reclinaço Não Oficial Mensal). O que tem acontecido de interessante nos últimos pedais com reclinadas que participo é a integração de diferentes modalidades de bicicletas, não ficando restrito às reclinadas e dando um clima democrático e integrador. Acabo conhecendo várias pessoas legais e com gostos ciclisticos variados.
Fizemos um percuso já comum, até o bairro de Ipanema, ida e volta, totalizando umas 3 horas e meia de boas pedaladas e muito bate-papo. A HR24, mesmo sem o câmbio dianteiro, com câmbio traseiro não-regulado, sem almofada no banco, está se mostrando ótima. Assim que pintá-la e montá-la de forma definitiva e com os ajustes ainda necessários, acho que terei uma ótima máquina em mãos.

Na foto aparece a turma que participou do pedal, bem como no vídeo, postado pelo Wagner (segundo da direita para a esquerda, na foto da turma). Me disseram que o virus da reclinada tb está querendo pegar ele. ;-))

Obrigado aos amigos pelo ótimo pedal que me proporcionaram.

Mais fotos podem ser vistas AQUI NO FLOG DO ALEX BERTA.

E ao visitantes, apareçam sempre.

Abração e até o próximo post!!

15 março, 2009

HR24 - Opiniões femininas

Já tenho dado umas boas pedaladas na bike antes de partir para a pintura. Hoje, contudo, tive a chance de partir para um testezinho um pouco diferente.
Duas amigas e minha esposa resolveram experimentar dar umas pequenas pedaladas. Minha esposa já experimentou todos os modelos que montei. Contudo, nossas amigas, até hoje, nunca haviam ao menos sentado no banco de uma reclinada, e mal viram algumas EXD's ao longe, andando por Porto Alegre. Logo, a situação era boa para ver como alguém que nunca subiu em uma reclinada se sairia experimentando minha HR24.
As alturas das ciclistas variaram de aproximadamente 1,75 a 1,60. Assim, tive que regular as várias posições de banco. O resultado foi "nenhum tombo" e boas pedaladas. O que elas mais estranharam foi o guidon em "U" (problema rapidamente resolvido com uma breve explicação minha sobre como fazer as curvas). Minha esposa estranhou um pouquinho a altura do banco, achando um pouquinho alto em relação ao chão (quando se chega o banco para a frente, também se aumenta a altura dele relativamente ao chão).
Bom mesmo seria ter vários exemplares da bike para sair todos aos mesmo tempo, testando a máquina em pedaladas mais longas e em grupo. :-))
Bom!! É isso!!
Abração a todos e até ao próximo post.

07 março, 2009

HR24 - Primeiras pedaladas fortes

Finalmente, agora a bike está próxima de um alinhamento ótimo. Isso me permitiu passar para alguns testes mais fortes e me preocupar com outras coisas que exigem melhorias mais simples graduais. Tenho pedalado somente com o casco do banco, sem uso de esponja, pois ainda não comprei uma (o Zohrer oferece um forro especialmente para o meu modelo de banco, o qual provavelmente vou comprar). A bike está bem legal de andar. A postura racer é bem "agressiva" e convidativa para um pedal mais puxado. O guidon já não trás mais nenhuma dúvida quanto ao fato de ser bom e bonito para este modelo de reclinada.
Enfim, no geral a bike é "quase" tudo de bom. Maaaas..., como não poderia deixar de ser, também tenho algumas críticas. Dentre alguns pequenos detalhes construtivos e de estética, um problema me preocupou bastante. O banco que adquiri para colocar nesta bicicleta (Zohrer Racer), embora receba o nome de racer, possui um formato que impede seu uso em posições mais deitadas. A consequência imediata após duas pedaladas de mais ou menos 35km é dor na parte posterior da coxa. A dor não é muscular, mas causada pelo fato de a cada pedalada a perna ser apertada contra um "bico" que o banco possui em seu assento. Outra decorrência é a dificuldade de levar os pés ao chão. Já ouvi rumores de que este problema de geometria estaria sendo resolvido pelo fabricante na construção de seus próximos bancos racer. Seria uma boa, pois quem está pensando nesse estilo de reclinada, possivelmente buscará bancos que permitam pedalar em posições mais deitadas.
Outro problema que senti foi a falta de um encosto para a cabeça. Como ando mais deitado na bike, a ausência do encosto causa um certo desconforto ao final da pedalada. Por fim, há uma crítica complementar a qual não me incomoda, mas que pode eventualmente ser curiosidade dos leitores do blog. A bike ficou dura, como ficam as speeds ou roads convencionais ao passar em buracos e outras irregularidades no calçamento das ruas. Contudo, isso foi uma opção minha ao construir este modelo, ou seja, não chega a ser uma precupação agora.
Bom!! Não me prolongarei mais!!!
Conforme surgirem novidades e idéias, vou mantendo-os informados.
Abração a todos e até o próximo post!!